(Crônica) Segredos de um escritor, por Júnior Pereira.


(Crônica) Segredos de um escritor, por Júnior Pereira.

Vida de escritor não é fácil, e na verdade não deveria ser, se fosse não seria interessante, quem é que gosta de uma vida monótona, onde não acontece nada extravagante ao ponto de nos tirar do chão, literalmente. Se alguém almeja viver apenas de coisas pequenas e sua maior ambição é o “chão” pode fazer qualquer coisa na vida, menos ser escritor.
Somos seres de outro universo, onde vivemos não comungamos com frases do tipo: “Não posso, é demais pra mim…” Pois acreditamos que podemos tudo e que nada é demais.
Talvez essa seja uma das maiores complicações, voamos muito alto, uma vez que nossas apostas vão além das nossas possibilidades, tenho que ser sincero, nem sempre vencemos e conseguimos o almejado, porém existe uma força que nos motiva a nunca desistir, isso é incrível, nos levantamos antes mesmo de chegar ao chão.
Somos sensíveis, eis ai outro problema sério, pois estamos em um mundo onde ser sensível está fora de moda e por isso acabamos sofrendo mais, chorando mais, se decepcionando mais, apanhando mais e claro, aprendendo mais que a vida foi feita para ser vivida com sensibilidade, que a maestria não está ser o “durão” da historia, mas sim na sensibilidade de um coração sincero.
Sinceridade, eis outro ponto, que claro, vem junto com a espontaneidade. Somos sinceros e totalmente expressivos, não nos contentamos em apenas saber que o dia está lindo, temos que falar pra alguém exatamente o que achamos do dia (Isso vale para qualquer coisa que venhamos sentir). 
Gostamos (pelo menos no meu caso) de musicas melancólicas, pois elas dão sentido ao nosso estilo de vida, além de combinarem muito com a sensibilidade do nosso coração, não pense que ser sensível é sinônimo de fraqueza, pois só os fortes tem coragem de falar da sua sensibilidade.
Não sou cronista, sou escritor de Auto ajuda e Motivação, mas como disse, pra nós, não existe limites.

Um abraço!

Júnior Pereira.

Anúncios